Seguidores

RÁDIO DO POVO

segunda-feira, 30 de março de 2015

PEDRA LAVRADA PB: Tragédia no Centro da cidade; filho atira no pai, no funcionário e se mata em seguida

Segundo a PM, o jovem atirou no pai e o funcionário tentou evitar um quarto disparo quando entrou em luta corporal com o suspeito, mas também foi atingido e morreu no local. Após o crime, suspeito se matou

Alexsandro tirou a própria vida
(Foto: Facebook/Alex Sandro)
Um jovem conhecido por Alexsandro Pereira da Silva (32 anos) tentou matar a tiros o próprio pai, Sr Ailton (61), dono de um estabelecimento comercial, no Centro da cidade de Pedra Lavrada, Seridó paraibano. Sandro entrou em luta corporal e matou Amilton - funcionário do bar da vítima, conhecido por "Véi" (33), e depois se matou. O caso ocorreu na tarde desta segunda-feira (30). Ferido, o pai do suspeito foi levado para o Hospital de Trauma de Campina Grande.

Segundo o soldado Lima Andrade, da Polícia Militar em Pedra Lavrada, o jovem atirou três vezes no pai, um funcionário do bar tentou evitar um quarto disparo e entrou em luta corporal com o suspeito.

“O filho deu dois tiros no pai e quando iria dar o terceiro disparo foi impedido pelo funcionário, que entrou em luta corporal e também foi atingido, morrendo no local. Vendo o pai caído no chão e o funcionário do bar morto, o suspeito acabou se matando”, afirmou o soldado.

Ainda de acordo com o PM, as motivações do crime são desconhecidas. “Ainda são poucas as informações e não temos uma indicação da motivação. Uma equipe da Polícia Civil de Picuí foi chamada a cidade para atender o caso e começar os procedimentos de investigação”, concluiu o soldado.

Uma multidão se aglomerou em volta do local. Toda população está bastante comovida, visto que todos os envolvidos eram bastante conhecidos na cidade.

Segundo o serviço social do hospital de Trauma de Campina Grande, o idoso deu entrada na unidade e foi submetido a exames. Ele foi atingido com dois tiros, no ombro e no peito. A vítima está consciente e apresenta quadro estável.FONTE NOVA PALMEIRA OFICIAL

Véi era o ajudante que foi alvejado e acabou morrendo (Foto: Facebook/Jakeline Souto)

sábado, 28 de março de 2015

SÁBADO, 28 DE MARÇO DE 2015 MENOR É SUSPEITO DE ENTRAR ARMADO COM FACA NA ESCOLA PARA MATAR PROFESSOR.

Um adolescente de 15 anos de idade, que estuda em uma escola pública da Zona Oeste de João Pessoa, foi filmado armado com uma faca, dentro da escola, e, supostamente, iria tentar matar um dos professores. O caso ocorreu na quinta-feira (26); segundo o menor, ele teria pego a faca após ter sido agredido pelo professor. De acordo com testemunhas, o menor foi até a casa onde mora, pegou a faca, mas foi visto pela mãe, que tentou evitar o fato seguindo o adolescente até a escola. O caso foi confirmado pela assessoria de comunicação da Secretaria de Educação da Paraíba, que informou que o aluno foi localizado armado dentro da escola e encaminhado ao Conselho Tutelar da região, onde foi levado para a Delegacia da Infância e Juventude.

“Assim que a direção da escola foi informada que o aluno estaria armado, localizou o mesmo e o encaminhou ao Conselho Tutelar da região, juntamente com sua mãe. O Conselho Tutelar o encaminhou para a Delegacia da Infância e Juventude, onde ele foi ouvido, juntamente com o professor da escola e o diretor, e tudo ficou esclarecido”, afirmou a assessoria. Ainda segundo a assessoria, o aluno foi orientado a não mais entrar na escola armado e a escola vai realizar um trabalho interno de enfrentamento à violência e disseminação da cultura e da paz. O Portal Correio entrou em contato com o comandante do policiamento na Ilha do Bispo, capitão Sidney, e ele informou que a Polícia Militar não foi solicitada para atender à ocorrência, mas entrou em contato com a escola, onde o diretor falou que tudo estava resolvido. “Não fomos acionados para a ocorrência, mas soubemos do fato e entramos em contato com a escola. O diretor nos informou que tudo estaria resolvido com os pais do menor, mas não confirmou a entrada da faca no estabelecimento de ensino”, afirmou o capitão.

Fonte: Portal Correio

Sines da Paraíba têm mais de 850 vagas para esta segunda-feira; veja os quadros


Jovem teria usado Facebook para ameaçar explodir escola e matar 17 crianças na Paraíba

Jovem teria usado Facebook para ameaçar explodir escola e matar 17 crianças na Paraíba

Na rede social, o jovem excluiu a postagem relatada em denúncias, mas colocou outras mensagens que, por meio de comentários, indicavam o que ele teria escrito anteriormente
Polícia | Em 28/03/15 às 12h37, atualizado em 28/03/15 às 13h16 | Por Redação
Polícia Civil

Um jovem foi denunciado na polícia suspeito de postar mensagens no Facebook com ameaças de que iria explodir uma bomba para matar 17 alunos de uma escola de São Francisco, no Sertão, a 429 quilômetros de João Pessoa. A postagem foi removida do perfil do rapaz, mas as aulas dessa sexta-feira (27) foram suspensas na instituição. Até o começo da tarde deste sábado (28), ele era procurado.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Após as postagens, a polícia local disse que recebeu denúncias de várias pessoas que ficaram assustadas com a possibilidade de uma tragédia. Os pais dos alunos foram a escola buscar os filhos e retirá-los da instituição com medo.

A Companhia de Polícia Militar em São Francisco atendeu ao chamado das pessoas e localizou a casa do suspeito. O rapaz mora na cidade e, segundo os pais dele, teria problema psiquiátrico e sofreria de esquizofrenia. Os pais teriam informado aos policiais que ele teria se recusado a tomar o medicamento de uso contínuo; apesar disso, o jovem não foi encontrado em casa.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil em Sousa na noite dessa sexta-feira (27) para que as providências sejam tomadas. Segundo a Polícia Civil, a delegada que deve dar procedimento ao caso, na segunda-feira (30), é Patrícia Fernandes.

No Facebook, o jovem pode ter excluído a postagem relatada em denúncias, mas colocou outras mensagens que, por meio de comentários, indicavam o que ele teria escrito anteriormente.

"Tô correndo risco de vida", postou. No comentário, uma pessoa escreveu: "A gente só planta o que colhe não foi vc que ia matar 17 crianças..." (sic).

Em outra postagem, o jovem disse que um hacker teria invadido a conta dele no Facebook.

Homem é preso depois de roubar carro e provocar acidente na Grande João Pessoa

Ivanildo Soares da Silva já responde por roubo e é usuário de drogas, de acordo com o relatório da Polícia Militar

Polícia | Em 28/03/15 às 14h18, atualizado em 28/03/15 às 14h28 | Por Hyldo Pereira
Carro foi roubado na feira de Bayeux

Um homem de 27 anos foi preso em flagrante minutos depois de roubar um veículo na feira pública da cidade de Bayeux, na região metropolitana de João Pessoa, neste sábado (28). Ivanildo Soares da Silva já responde por roubo e é usuário de drogas, de acordo com o relatório da Polícia Militar. A prisão ocorreu depois dele ter batido com o carro no muro de uma residência.
Leia mais Notícias do Portal Correio
Segundo o sargento Claudio Vasconcelos, da 4ª Companhia da PM de Bayeux, o Centro Integrado de Operações (Ciop) comunicou aos policiais sobre uma ocorrência de acidente de trânsito. Quando os militares chegaram no local indicado constataram que se tratava de roubo de veículo.
“Ivanildo Soares roubou o carro na feira do bairro de Imaculada com uma faca. Durante a fuga, o suspeito bateu o veículo no muro de uma casa no bairro Centro. Fomos averiguar o que teria provocado o acidente e constatamos que o automóvel era roubado. Ivanildo foi preso em flagrante portando a faca usada no assalto. O proprietário do veículo esteve no local e confirmou o crime”, falou o sargento.
Ainda segundo o policial, Ivanildo Soares foi levado para a 6ª Delegacia Distrital de Santa Rita – que responde pela área nos plantões. O jovem deverá ser transferido para a cadeia pública de Bayeux. 

Policial Volta para página inicial Tocaram fogo na Delegacia de Polícia Civil de Soledade


Tocaram fogo na Delegacia de Polícia Civil de Soledade

sábado, 28 de março de 2015
SOLEDADE (PB) - Após tocarem fogo na rádio comunitária da cidade em 3 ocasiões, os vândalos agora atearam fogo na Delegacia de Polícia Civil na madrugada deste sábado (28).
De acordo com a informação passadas  pelo agente de investigação de polícia civil, Moisés, o instituto de polícia científica (IPC) da cidade de Campina Grande, foi acionado para realizar a perícia técnica, fazer os primeiros levantamentos e recolher os vestígios da ocorrência. 
A porta principal da Delegacia foi atingida pelas chamas, porém não chegou a ser destruída.
As circunstâncias que motivaram a ação criminosa já estão sendo investigadas.
 
Da redação com informações do Soledade Notícias

Cássio e o filho Pedro receberam mais de R$ 1 milhão de empresas envolvidas na ‘Lava Jato’

Politica


Cássio e o filho Pedro receberam mais de R$ 1 milhão de empresas envolvidas na ‘Lava Jato’

quinta-feira, 12 de março de 2015
Líder do PSDB no Senado e mais ferrenho defensor de um processo de impeachement para a Presidente Dilma, o senador paraibano Cássio Cunha Lima foi apanhado de calças curtas pela mídia do Sul do País, que o acusa de ter sido beneficiado - juntamente com o filho Pedro, eleito deputado Federal - com dinheiro de empresas envolvidas na operação Lava Jato.
Foram mais de R$ 1 milhão doados por empresas investigadas na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, para campanha eleitoral de dois expoentes do “tucanato” no Estado da Paraíba.

Campeão de votos, Pedro Cunha Lima, que disputou seu primeiro mandato e, até então, fora o parentesco era um anônimo na política, recebeu da Odebrecht a singela doação de R$ 12.850 durante a campanha eleitoral de 2014.

Seu pai foi melhor prestigiado e emplacou a bagatela de R$ 1 milhão, doados por outras três empresas, também investigadas pela Operação Lava Jato: R$ 500 mil da Queiroz Galvão; R$ 300 mil da OAS; e R$ 200 mil da Andrade Gutierrez, totalizando R$ 1 milhão.

Todas as empresas citadas como doadoras foram denunciadas pelo doleiro Alberto Yousseff, acusado de ser o operador do esquema que pagava propina a políticos e a partidos políticos.

 Até agora apenas dois paraibanos foram citados oficialmente na lista dos suspeitos de envolvimento no esquema: Lindenbergh Farias (PT) e Aguinaldo Ribeiro (PP).
Os nomes da lista estão ligados a pedido de investigação feito pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot, com base em informações da delação premiada do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto da Costa.

Fonte: A Palavra 


quarta-feira, 18 de março de 2015

(CASO DE POLÍCIA) Esposa apanha da amante do seu marido dentro de universidade em Campina Grande


Esposa apanha da amante do seu marido dentro de universidade em Campina Grande

quarta-feira, 18 de março de 2015
CAMPINA GRANDE - Um grande barraco ocorreu na noite da última segunda-feira (16) envolvendo duas alunas do curso de nutrição da Faculdade Maurício de Nassau, quando a esposa apanhou da amante.
De acordo com informações apuradas pelo helenolima.com junto a alguns estudantes da universidade e que presenciaram a muvuca, Luanny Souza, 19 anos, teria agredido fisicamente Erika Dantas, 30 anos, que é irmã do prefeito de Cubati, Dudu Dantas (PMDB).
Luanny teria um caso com um homem casado
Luanny, que seria amante do marido de Érika, ficou de tocaiai e mandou duas colegas (Erivânia Santos e Inaiara Amarantes), chamar Érika na sala de aula.
Sem saber de nada, Érica saiu da sala e Luanny deu início a sessão de agressões contra a sua rival.
Além disso, Erivânia e Inaiara também são acusadas de terem ajudado Luanny a espancar Érica.
Exibindo foto 1.JPG
Inaiara teria participado da confusão ajudando Luanny a espancar sua rival
Após o fim da confusão, as alunas foram até a direção da universidade, que não pretende expulsar Alanny pelo ocorrido e ainda pretende suspender por 7 dias as duas.
Em seguida, Érika foi à Delegacia de Mulheres prestar queixa contra Alanny e, em seguida, se dirigiu ao Instituto de Medicina Legal (IML) para fazer um exame de corpo delito.
Amigos da esposa agredida estão revoltados com a direção da Maurício de Nassau, que não expulsou a mentora da confusão e não aceitam a presença dela na mesma instituição.
Exibindo foto 2.PNG
Erivânia também participou da sessão de torturas contra Érika 
Da redação